Palavra do Leitor  Colunista -ROBERTO BRENOL ANDRADE 

Edição impressa de 05/02/2016

Árvore ii

Reprise na Capital, ruas alagadas e novamente árvores caídas e valos transbordando nesta quinta-feira, tudo por falta de limpeza e planejamento de trabalho nas vias de Porto Alegre. A imprensa deveria verificar os bueiros da cidade, principalmente nas vias de alagamento. As avenidas Farrapos e Cairu nunca ficaram alagadas antes, mas o descaso desta administração chegou nelas. Uma árvore caiu na avenida Sertório, um eucalipto enorme, e, graças ao bom Deus, não matou ninguém. Mas, se matasse, não dava nada. Como sempre. (Marcelino Pogozelski, diretor da UGT/RS)


BRENOL.jpg

Acidentes com Queda de Altura.Reportagem ZH24/10/2015 -METROJORNAL28/10/2015.

A imprensa deveria investigar quantos acidentes com queda de altura  e lesões  aconteceram em residências e prédios nos consertos dos telhados. Um levantamento dos Hospitais de Urgência em Porto Alegre e Canoas ultrapassaram mais de cem acidentes de trabalhadores tentando consertar os estragos ocasionados pelos temporais. As quedas em altura podem deixar graves sequelas e, por isso, é necessário usar equipamentos de segurança nesta atividade e analisar principalmente a estrutura da formação do telhado para realizar os consertos. Somente a imprensa pode alertar para os riscos desse tipo de acidente traumático.                      Marcelino Pogozelski-Técnico de Segurança do Trabalho



Notícia da edição impressa de 28/09/2015

Trânsito II-PAVALVRA DO LEITOR

Colunista -Roberto Brenol de Andrade

Todos os anos, na Semana de Trânsito, há uma avaliação dos acidentes e tragédias que se sucedem diariamente, e os números de vítimas e lesões no Brasil têm um significado mínimo de resultado positivo. Um exemplo trágico foi na BR-448. Quantas vítimas e acidentes na curva da morte até colocarem iluminação, sinalização adequada e um controlador de velocidade? Quantas arapucas existem, ou armadilhas, para os condutores e pedestres nas vias e rodovias do Brasil? Isto deveria ser divulgado. A maioria dos metidos em conhecimento em prevenção não sabe o que estão falando, porque a prevenção começa no início da vida. Temos uma falsa educação nas escolas sobre a prevenção da vida para os jovens. A mortalidade continuará aumentando nesta faixa, porque há o despreparo político de gestão governamental. Como observado na BR-448, foram realizadas as mudanças. Por que o Ministério Público Federal abriu um inquérito investigativo sobre a situação de risco na rodovia? Outro exemplo é o acidente da Serra que vitimou um jornalista e tantos outros. Nada foi feito.

 (Marcelino Pogozelski, secretário da UGT/RS e presidente da ONG Vida Viva)


BRENOL.jpg

PORTO ALEGRE, SEGUNDA-FEIRA, 28 DE SETEMBRO DE 2015 |10| {PUBLIMETRO www.metrojornal.com.br

Poluição atmosférica

A emissão de gases tóxicos por veículos é a maior fonte de poluição atmosférica nas grandes cidades, sendo responsável por até 40% da poluição do ar. O problema se agrava com o crescimento do número de veículos nas ruas – no Brasil já são mais de 15 milhões aproximadamente. Em áreas metropolitanas, com grande concentração de veículos, a presença de monóxido de carbono prejudica muito a qualidade do ar. Como há muitos veículos trafegando nas ruas, o problema da inalação desses poluentes e os níveis de monóxido de carbono dos escapamentos são alarmantes porque é um gás toxico e inflamável que não tem cor e nem cheiro. Falta proteção de nossas riquezas principalmente o nosso ar, água, fauna e flora. Começando pela falta de fiscalização dos veículos em nossas capitais. MARCELINO POGOZELSKI - PORTO ALEGRE, RS


1-Incluir na NR 6 –Equipamentos de Proteção Individual- (EPIs), para motociclistas como luvas, calcados fechados, cotoveleiras, ombreiras, jaquetas e caneleiras. Os equipamentos de proteção individual-EPI precisam estar certificados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (INMETRO), de acordo com regulamento de avaliação da conformidade por ele aprovado.

           O objetivo e a diminuição dos acidentes e internações nos hospitais são pelos condutores de motocicleta. Implementação dos Equipamentos de Proteção Individual deve ser utilizados pelos profissionais e trabalhadores que utilizam as motocicletas para uso continuo do seu trabalho. A importância e a relevância do Ministério do Trabalho na fiscalização destas empresas que contratam motociclistas para seus serviços sem o uso obrigatório destes equipamentos para seus empregados. O Ministério do Trabalho e peça chave de soluções para diminuição dos acidentes no Brasil. Precisamos programar as soluções de prevenção e fiscalização. Motivo:

Segurança- Pelo tráfego intenso de veículos de grande porte, os motociclistas são vítimas mais frágeis, pois estão mais expostos, em contato direto com carros e caminhões. Mas não é somente o tráfego na rodovia que gera vítimas. Por isso, o uso dos EPIs é fundamental para garantir a segurança do condutor e do passageiro de uma motocicleta.

Em audiência com o Senador Lasier Martins propondo 

a inclusão na na Norma Regulamentadora NR 6 os Equipamentos de Proteção Individual dos Motociclistas que trabalham na atividade fim.

Também foi solicitado a Certificação de Aprovação deste equipamentos junto ao INMETRO.  Dados do Ministério da Saúde em 2008 ocorreram 38,2 mil óbitos destes 8,9 mil eram de motos. Em 2013 óbitos 42,2 mil destes 12 mil são de motos.Desde Janeiro a julho deste ano, a EPTC  registrou 2,2 mil acidentes de motociclistas.Qual foi o custos destes acidentes para os hospitais e quem paga a conta. Fora isto os afastamentos e os que ficam com sequelas para resto de suas vidas, perdas de dedos, escoriações que poderiam ser evitadas se os profissionais tivessem os equipamentos de proteção.No BRASIL em 2013 ACIDENTES de TRABALHO chegaram em torno de 3.507.319 MILHÕES destes Acidentes 1.440.832 MILHÕES foram acidentes de trajeto referendando os acidentes de trânsito.Dados Pesquisa Anual de Saúde 2013  do Ministério da Saúde. Os gastos na saúde em acidentes e alarmante para um país que está com sua economia esfacelada. Estava presente na audiência o Presidente da ONG Marcelino Pogozelski e o Presidente da UGT/RS Paulo Roberto Barck.

Porto Alegre, 21 de Setembro de 2015.

 

001__3_.JPG


FERNANDO ALBRECHT
fernando.albrecht@jornaldocomercio.com.br 

Começo de Conversa

Coluna publicada em 31/07/2015


Bloqueio de pedestre

Nos dois lados da Assis Brasil, na altura da Fiergs, foram instaladas tendas no acostamento, obrigando o pedestre a caminhar na pista da movimentada avenida. É para ver como é o nosso conceito de civilidade, centrado no individualismo feroz. O pedestre que se exploda.


MARCELINO POGOZELSKI/DIVULGAÇÃO/JC


JUSTIÇA RESTAURATIVA - ESCOLA DE PAIS


ONG VIDA VIVA BUSCA PARCEIROS PARA O NOVO PROJETO

 

         Buscar alternativas para tratar a violência de forma preventiva e não apenas sintomáticas é um dos maiores desafios que autoridades e sociedade civil organizada possuem. É perceber que essa violência que vem se alastrando dentro de ambientes escolares e comunidades acontecem, sem generalizar, quase que cotidianamente.  

Por isso a ONG Vida Viva, está desenvolvendo o Projeto Justiça Restaurativa – Escola de Pais, o qual surge na busca da resolução de conflitos existentes nas comunidades educativas e familiares, que abrangem um contexto de extrema violência e também aquelas de violência velada (como bullying, preconceito, etc), onde os recursos utilizados por educadores, conselheiros tutelares, gestores, já não estão dando conta das necessidades que se aglomeram e chegam a prejudicar as situações de aprendizagem em sala de aula, promovendo muitas vezes a evasão escolar; ou alternativas utilizadas pelos ambientes educativos como suspensões, expulsões, atividades domiciliares onde o estudante também é marginalizado através do distanciamento dos iguais, onde a aprendizagem tende a não acontecer.

Partindo deste princípio surgem ainda os questionamentos sobre aqueles que se dizem responsáveis por estas crianças e/ou adolescentes, e muitas vezes encontram-se tão a margem quanto eles em seus questionamentos e em seus desejos de entendimento sobre os cuidados que necessitam dispensar a eles. São muitos processos dolorosos que acontecem a partir da construção de um termo de guarda onde uma criança é deixada sob os cuidados de um adulto que muitas vezes não foi preparado para isto. Existem ainda os pais que muito cedo tiveram seus primeiros filhos, existem as mães que ainda na adolescência encontram a necessidade de tornarem-se responsáveis por seus filhos, e diversas outras situações onde a inexperiência do cuidar torna-se cada vez mais necessária através de uma formação.

 O Projeto Justiça Restaurativa – Escola de Pais através de seus objetivos, metodologia e plano de ação visa primeiramente repassar outra forma de resolver conflitos aos pais e/ou responsáveis. Não objetiva ser a solução para todos os problemas de violência nos espaços educativos e familiares, mas o de dar uma alternativa de resolução de conflitos dentro destes novos contextos, favorecendo-os através dos tópicos essenciais da JR, pois sabe-se que os conflitos acontecem muitas vezes a partir da falta de cuidados, orientação e diálogo. Os CR[1] deverão acontecer de forma natural, sempre que necessário, como ferramenta essencial dentro da Escola de Pais, como também nas situações de conflito em ambiente escolar envolvendo não somente os estudantes, mas a gestão destes espaços.

 O Projeto JR – Escola de Pais surge também como acompanhamento ao art. 129, incisos I e IV do ECA que diz: São medidas aplicáveis aos pais e ou responsáveis:

§ I - encaminhamento a programa oficial ou comunitário de promoção à família;
§ IV - encaminhamento a cursos ou programas de orientação.

Para tanto é preciso que o caminhar deste projeto possa também ser facilitado pela mediação e encaminhamentos do Conselho Tutelar, consolidando assim uma medida aplicável, favorecendo o crescimento e o comprometimento familiar e comunitário.




Responsáveis pelo projeto


Dione Goreti Fernandes Gauto - Psicopedagoga e Técnica da Justiça Restaurativa

 

José Nilson Padilha Bueno -  Filósofo, Sociólogo e Técnico da Justiça Restaurativa





Porto & Canto – Segurança do Trabalho

 

TREINAMENTOS:

Ø Treinamento de uso de EPI´s – NR – 06;

Ø Curso de Prevenção de Acidentes para Componentes da CIPA – nr 5;

Ø Realização do Programa de Controle Médico e de Saúde Ocupacional – PCMSO – NR 07;

Ø Programa de Prevenção de Riscos Ambientais – PPRA – NR 09;

Ø Segurança em Instalações e Serviços em Eletricidade – NR 10;

Ø Transporte, Movimentação, Armazenagem e Manuseio de Materiais – NR 11 ( Empilhadeiras, Paleteiras, PTA, etc...);

Ø Segurança do Trabalho em Máquinas e Equipamentos – NR 12;

Ø Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção – NR 18;

Ø Proteção Contra Incêndio – NR 23 ( Brigada de Incêndio e Treinamentos com Extintores RT 14);

Ø Segurança e Saúde nos Trabalho de Espaços Confinados – NR 33;

Ø Trabalho em Altura – NR 35;

Ø Curso de Direção Defensiva.

Contato 051 -84614645

Marcelino Pogozelski-Diretor


 

CURSOS
CURSO NR 35 – TRABALHO EM ALTURA

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
Conceito básico, Normas e regulamentos aplicáveis ao trabalho em altura;
Análise de Risco e condições impeditivas;
Riscos potenciais inerentes ao trabalho em altura e medidas de prevenção e controle;
Equipamentos de Proteção Individual para trabalho em altura: seleção, inspeção, conservação e limitação de uso;
Acidentes típicos em trabalhos em altura;
Condutas em situações de emergência, incluindo noções de técnicas de resgate e de primeiros socorros;
Sistemas, equipamentos e procedimentos de proteção coletiva;
Check list e Permissão de Trabalho – PT.
Dinâmica Técnica  -Av. Farrapos,1362-Bairro Floresta -POA/RS 
Local do Treinamento: Rua Maria Josefa da Fontoura, 237, B. Sarandi – POA/RS.
Equipe Técnica:
Marco Igor Ballejo Canto: TST – MTE/RS Reg. Nº RS 45/01071.3 - Supervisor de Trabalho em Altura – Socorrista Reg. Cruz Vermelha Brasileira Nº 1712 folhas 052 do livro de registro nº 02.
Cristian Canto Feijó: TST – Reg. RS/3738.9 – Formado em curso de acesso por corda nível 1.

Carga Horária: 08 horas.
CONTATO: 51- 91357908 51-84614645




1550.JPG

A Instituição ONG Vida Viva está atendendo a comunidade do Bairro Sarandi em suas reivindicações para melhorias da comunidade em sua sede.  “O atendimento e realizado pela Comissão do Gabinete do Parlamentar da Câmara de Vereadores do Vereador Tarciso ‘‘FLECHA NEGRA”.






Benfeitorias 2015.


O projeto da construção e reforma da instituição ONG Vida Viva começou em 2010, desde seu início arrecadamos fundos com associados, empresas e sindicatos para realizar suas ações sociais, educativas e profissionais. A primeira etapa da obra foi a reforma do Prédio para implantação de seus projetos. Neste ano de 2015 iniciou-se uma nova etapa, a construção do muro e uma nova sala para os novos cursos.

Agradecemos aos colaboradores por esta conquista de alcançar as melhorias das instalações para a segurança da entidade e da nova sala para recepção às reivindicações da comunidade. Relacionamos os Associados, Diretoria, Conselheiros, consultor Jairo Bortoli, Advogado Maiato e demais sindicatos, SINECARGA, SINCAP, Central UGT/RS,  ROTARY LINDOIA  ,  Ferragens MIKASA LTDA,  MecânicaPina LTDA e a Comissão de Atendimento e Relações Publicas do Vereador Tarciso “Fecha Negra”.












          INSCRIÇÕES  CURSO CABELEIREIRO
       A  ONG Vida Viva esta aberta para inscrições do novo Curso de Cabeleireiro. 

Horário de Inscrição das 9:00h até as 17:00h.
Av. Maria Josefa da Fontoura,237 Bairro Sarandi-
fone :051 33653408 - 86168882
Contato: Marco A. Rio Branco ou Cristiane 
Abraços-Marcelino Pogozelski-Presidente


UGT/RS E ONG VIDA VIVA em 20/01/2015 protocolam ação no Ministério Publico da Comarca de Taquara-RS com jurisdição da cidade de Rolante solicitando medidas urgentes sobre os riscos de acidentes na travessia sobre o Pontilhão do município. Solicitando providencias: Avaliação e pericia técnica de travessia do Pontilhão. Implantação de um projeto para construção de uma ponte adequada para travessia de veículos, transporte coletivo e pedestre. Requisitamos a implantação de placas de seguranças sobre a travessia nos dois sentidos.


Conclusão do processo e a agilidade do Ministério Publico em audiência com a Prefeitura Municipal de Rolante iniciou a obra esperada pelos moradores. Agradecemos a todos pelo empenho realizado.Diretoria da UGT/RS e a Instituição ONG VIDA VIVA.


Segundo Curso de Cabeleireiro realizado na Instituição Vida Viva.


DESDE 1995 ONG VIDA VIVA- EDUCANDO COM CIDADANIA PARA SALVAR VIDAS

PROJETO “FORMANDO CIDADÃO”


JUSTIFICATIVA

Hoje, em função da globalização, acelerou-se a qualificação profissional, tornando-a, cada vez mais, uma ferramenta essencial no processo do desempenho profissional no mercado de trabalho. Em função das dificuldades decorrentes na demanda de trabalhadores, trazemos este projeto com a nítida certeza de que estamos oferecendo aos treinando os elementos mínimos e necessários que servirão de apoio para que atuem com conhecimento e competência. O Projeto Formando Cidadão é um curso profissionalizante direcionado as pessoas de ambos o sexo e que não possuam qualificação, na área. Que tenham renda familiar de até R$ 800,00 ou meio salário mínimo por pessoa na família. O projeto visa dar aos participantes, após a aprovação, no final do curso, condições de atuar no mercado.

SITUAÇÃO ESPERADA AO TÉRMINO DO PROJETO

Sabemos que a qualificação profissional não garante a vaga no mercado de trabalho, pois esta não gera emprego, porém, facilita o ingresso do aluno neste mercado com maior possibilidade.

Acreditamos que no desenrolar do curso o aluno terá um aprimoramento interpessoal muito intenso, proporcionando uma melhoria na autoestima, na motivação, no aumento de perspectiva no futuro, gerando uma maior participação na comunidade. Esses fatores relatados proporcionam a indicação e aproveitamento de trinta e três (33%) por cento dos treinando no mercado de trabalho.

OBJETIVO GERAL

Este projeto visa formar novos profissionais e minimizar as dificuldades existentes hoje na área de corte do cabelo, que tenham perfil necessário, abrangendo a ética profissional, a competência no relacionamento interpessoal, as técnicas de trabalho, bem como a excelência no atendimento ao cliente.



Marcelino Pogozelski-Presidente da ONG VIDA VIVA- www.vidaviva.org.br






NOVO CONVÊNIO NA ONG VIDAVIVA, ACESSE O LINK "CONVÊNIOS" E SAIBA MAIS INFORMAÇÕES.


  Conferência Nacional de Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora


Companheiros;

​  

 Com satisfação agradeço representar a UGT/RS no evento realizado em Brasilia/DF no Seminário Setorial com a Centrais Sindicais e Organizações Sociais, nos dias 21 e 22/03/14. Um RESUMO do Seminário representado pelo Secretario de Saúde e Segurança do Trabalho Marcelino Pogozelski, no encontro na área de transporte:

1-Falta de Fiscalização nas estradas e rodovias pelos setores governamentais competentes;

2- Falta de Infraestrutura para os os condutores dos veículos de cargas nas estradas e rodovias;

3-Insegurança para os condutores de cargas nas rodovias(assaltos);

4-Avaliações periódicas na saúde aos motoristas profissionais de transporte coletivo urbano e transporte de cargas;(sintomas como ansiedade, estresse e a síndrome do panico);

5-Falta de manutenção dos veículos,excesso de calor, alimentação inadequada,plano de atividade físicas para estas categorias de motoristas;

6- Para prevenção mudanças na NORMAS REGULAMENTADORAS para segurança e melhorias para a saúde destes condutores de transporte rodoviários e urbanos, um estudo sobre esta atividade na Ergonômica deste motoristas;

7-Mapeamento de riscos de acidentes destes condutores em suas rotas de atividade laboral,a CIPA deve ser atuante nesta atividade e relatar os riscos nos relatórios mensais das suas reuniões e encaminhar aos empregadores tomarem suas providencias ou setores da fiscalização;

8-Controle no horário da atividade laboral destes motoristas.Na avaliação insistentemente que os Ministérios da Saúde, Trabalho e Previdência Social devem interagir seus setores para que a saúde e a segurança deste condutores sejam preservadas para o futuro deste Brasil finalizando,abraços a todos.


Marcelino Pogozelski -

Secretário Saúde e Segurança do Trabalho UGT/RS

Presidente ONG VIDAVIVA


FOTOS ​ FORMATURA CURSO CABELEIREIRO VIDAVIVA




FORMATURA CURSO CABELEIREIRO VIDAVIVA​

​  Prezados Conselheiros, Diretores, Patrocinadores e amigos da ONG Vida Viva e é com imenso prazer que convidados vossas Senhorias para a formatura e entrega de Certificados aos alunos do Curso e Cabeleireiro de 180 horas no período de 06/08/2013 a 26/11/2013.

Esperamos sua presença no dia 29/11/2013 as 19h30 na sede da ONG.


Marcelino Pogozelski

Presidente





PROJETOS COM PARCERIA


EVENTO CURSO CABELEIREIRO NA ONG VIDAVIVA.

Ontem no lançamento de mais um curso oferecido para a comunidade na sede da VIDAVIVA o Presidente Marcelino agradeceu aos colaboradores e amigos que realizaram este sonho de toda comunidade. Em especial aos amigos do Rotary Lindóia Passo D'Areia e da UGT-RS representados pelo Presidente do SINECARGA Paulo Barck. A VIDAVIVA agradece a todos e espera que mais ações sejam feitas e espera mais ajuda de todos para que os sonhos das comunidades sejam realizadas.




Meio ambiente: ONG apresenta reivindicações na Cosmam

Presidente da Vida Viva, organização não-governamental com trabalho voltado à defesa do meio ambiente, Marcelino Pogozelski apresentou na manhã desta terça-feira (9/7), na Comissão de Saúde e Meio Ambiente (Cosmam) da Câmara Municipal de Porto Alegre, pauta de reivindicações e sugestões para estabelecimento de debates, políticas públicas e projetos na Capital. Conforme Pogozelski, estas mesmas propostas foram apresentadas em fevereiro ao vice-prefeito Sebastião Melo. Ele, contudo, lamentou não ter recebido ainda nenhuma resposta ou encaminhamento de parte do Executivo.

A lista da Vida Viva é formada por 10 pontos: podas e limpeza de parasitas, cicatrizações de árvores, cadastro das espécies nativas, adubação orgânica e compostagem, educação ambiental nas escolas, plantio de arvores frutíferas e nativas e resíduos orgânicos. Completam a lista os itens projeto ambiental de canalização de valos, risco de acidentes nas bordas destes canais de escoamento de águas pluviais e detritos e projeto de urbanização com restauração de plantio de árvores nativas. Pogozelski disse estar faltando planejamento para o futuro da Cidade. “Precisamos debater um projeto para Porto Alegre que inclua qualidade de vida”, destacou.